Congelamento de preços: o que é e quais os efeitos na economia?

Nos últimos dias, o país voltou a discutir um tema econômico polêmico: o congelamento de preços. De tempos em tempos os portais de economia destacam esse assunto, mas você sabe o por que disso?

Ainda mais, você sabe o que de fato é o congelamento de preços e quais os efeitos dessa ação na economia?

Hoje, é exatamente isso que o BE te conta!

O que é o congelamento de preços?

O congelamento de preços (também chamado de controle de preços) é uma medida econômica realizada por governos em todo o mundo há várias décadas.

A princípio, o controle de preços visa estabelecer um preço limite para a venda de um bem ou um serviço. Ou seja: o governo estabelece “tetos” de preço para um mercado, e as empresas e vendedores daquele setor precisam vender suas mercadorias por um preço abaixo do teto.

Desse modo, os preços ficam “congelados”, sem aumentarem.

This and That (General Discussion English Room) - Page 188 - ENGLISH ROOM -  Media Psychos

Quando o governo utiliza o congelamento de preços?

Os governos utilizam essa medida econômica em tempos de hiperinflação. Sendo assim, principalmente quando os países passam por dificuldades na economia que elevam os preços, o botão do freezer pode ser acionado.

Se você não sabe o que é inflação, clique no botão abaixo para ler mais sobre!

Desse modo, quando os preços da economia estão muito altos (inflação), o governo tenta “proteger” os consumidores impedindo que esses preços aumentem mais ainda.

Ainda mais, essa medida abarca, na maioria das vezes, setores inteiros. Por exemplo: se o Ministério da Economia decidir pelo congelamento de preços do petróleo, todo o setor precisa obedecer à decisão.

E, dessa forma, o congelamento escala por vários setores do país.

Top 30 Frozen Gif GIFs | Find the best GIF on Gfycat

Quais os efeitos dESSA MEDIDA?

Pensar em conter a inflação e tornar a cesta básica mais barata para todos é um sonho de todos. No entanto, como na economia nada é de graça, essa medida pode custar caro.

Em um mundo cada vez mais globalizado, o mercado está presente em vários países. Aqui, entendemos o “mercado” como a instituição. Você pode ler mais sobre clicando aqui.

Dessa forma, o mercado funciona à base da lei de oferta e demanda. Com isso, a oferta e a demanda devem estar sempre em equilíbrio, de forma que as empresas produzam o suficiente para suprir a demanda da sociedade.

O que controla esse equilíbrio? O preço.

Como falamos em nosso texto “Economês: Oferta e Demanda”, quando a oferta cai ou a demanda sobe, os preços subirão. Isso porque, quanto mais raro um produto for nas prateleiras, mais valioso (caro) ele será.

Por isso, um dos motivos da inflação é a alta demanda, ou a baixa oferta. Desse modo, as mercadorias se tornam mais valiosas, e os preços automaticamente aumentam.

Isso também explica o porque de alguns economistas acreditarem que uma baixa inflação, mas ainda existente, é essencial. Pois, se não há nenhuma inflação, significa que a sociedade não está consumindo. E baixo consumo, geralmente, significa crise econômica e pobreza.

Mas voltando ao congelamento de preços. Quando o governo impõe um preço limite, a lei da oferta e demanda não pode funcionar da forma correta.

Pense bem: se os preços se tornam fixos e mais baratos, muitas pessoas compram de uma vez só. O produto, então, começa a faltar nas prateleiras. Em um mercado funcionando plenamente, isso faria os preços subirem, o que daria mais dinheiro às empresas.

Em um mundo perfeito, as empresas usariam esse lucro para produzir mais, aumentar a oferta e encher prateleiras novamente. Como na imagem abaixo:

Imagem de direito autoral do Boletim Econômico. Não replicar sem os créditos.

Porém… Se os preços estão congelados, as empresas não têm lucro: elas passam a ter prejuízos. Mas por que prejuízos?

Aqui vai um exemplo:

Imagine que você é dono de um posto de gasolina e os preços estão congelados, logo, você precisa vender o combustível a R$ 3,00. Com isso, muitas pessoas abasteceram seus carros, e o combustível ficou em falta. Essa falta torna o insumo mais caro, e você agora precisa comprá-lo nas refinarias a R$ 4,00 e, depois, voltar a vendê-lo por R$ 3,00. Você teve um prejuízo de 1 real (por enquanto).

Por isso, é muito comum o controle de preços não funcionar segundo a visão de alguns economistas. Ao menor sinal dessa medida, empresários retraem seus negócios e o risco de investimento no país aumenta.

Além disso, se as empresas começam a ter prejuízo, elas quebram. E o desemprego aumenta.

Desse modo, o teto que deveria ajudar… Já sabem, né? Foi o caso da Argentina na última década, por exemplo.

E você, o que acha do teto de gastos? Deixe seu comentário abaixo e nos conte sua opinião!

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Anterior

Crise financeira em empresas: o que é e como afeta seu negócio?

Proximo Post

QUAD: Entenda a carta internacional de Biden contra os chineses

Talvez você goste