como declarar o imposto de renda nesse ano?

Declarar o imposto de renda é a obrigação de mais de 30 milhões de brasileiros todos os anos, mas, por incrível que pareça, não é uma tarefa que todo mundo saiba.

Mas, é algo mais simples do que parece.

Quer saber como declarar seu imposto? Vem comigo que eu te explico.

Receita Federal - Principais Serviços Ofertados? Quando Procurar? Declarar imposto de renda

Você precisa declarar?

Antes de mais nada, é preciso saber se você se enquadra nesses 30 milhões de brasileiros que devem declarar o imposto de renda. Vamos lá que a lista é um pouco grandinha rs:

  • Quem recebeu aluguéis e salários que somados passaram de R$ 28.559,70 no ano de 2020;
  • Quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte, que juntos passaram de 40 mil reais no ano (ex: heranças);
  • A pessoa que teve receita bruta superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Quem tinha, em 31 de dezembro de 2020, bens e direitos que somados passavam de 300 mil reais;
  • Pessoas que ganharam capital sujeitos à tributação na venda de bens ou direitos, como a venda de um imóvel;
  • Quem vendeu um imóvel residencial e usufruiu da regra de isenção ao usar o valor dessa venda na compra de outro imóvel, dentro de 180 dias;
  • Quem fez investimento na bolsa de valores;
  • Pessoas que passaram ou voltaram a morar no Brasil em 2020;
  • REGRA NOVA: Quem recebeu auxílio emergencial em qualquer valor e teve rendimentos tributáveis superior a 22.847,76 no ano todo.

Ufa, se você se encaixa em algum desses tópicos, vamos te mostrar o passo a passo para declarar seu imposto de renda.

Mas, antes, vamos ver em qual faixa de imposto você se encaixa.

Tabela do IR

O imposto de renda é progressivo, ou seja, quanto maior for a sua renda, maior a alíquota que você irá pagar.

Dessa forma, os valores da base de cálculo são considerados na forma anual, é importante não confundir esses valores com seu salário, por exemplo.

A alíquota é a porcentagem em cima desse valor que você terá que pagar e a parcela a deduzir é o valor descontado dessa alíquota.

Vamos ver um exemplo. Otávio recebeu durante o ano de 2020 R$ 30.000,00, assim ele terá que pagar uma alíquota de 7,5%, esse valor será de 2.250,00 reais. Desse valor, será deduzido 1.713,58 reais.

Imposto de Renda 2021 Tabela | IR 2021

• Veja também: Honda e outras fecham a porta no Brasil: o que tá acontecendo?

Agora que você sabe aonde se encaixa, vamos para o passo a passo de fato.

• 1º passo – Separar documentos

Antes de por a mão na massa, é preciso que você se organize para não perder tempo e não ficar confuso. Dessa forma, você com certeza também evitará possíveis erros.

Vamos lá:

  • Informes de rendimento da empresa, como os salários recebidos no ano;
  • Informe de aposentadorias ou de pensões;
  • Demonstrativos de bancos com dados sobre suas contas;
  • Demonstrativos de corretoras sobre seus investimentos;
  • Comprovantes de outras fontes de renda, como aluguéis de imóveis;
  • Informes sobre pensão alimentícia e de doações e heranças recebidos no ano.
  • DARFS de carnê-leão (guia de imposto);
  • Contratos de compra e venda de bens;
  • Recibos de pagamentos de despesas dedutíveis, como plano de saúde e despesas médicas;
  • Comprovante de gastos com educação;
  • Extrato de suas dívidas, como financiamentos;
  • Seus documentos pessoais (CPF, RG, por exemplo);
  • Documentos dos seus dependentes.

Assim, com os documentos em mãos, vamos para a prática.

• 2º passo – Baixar o programa da receita federal

Agora, é necessário que você baixe o Programa Gerador da Declaração (PGD IRPF 2021), no site da Receita Federal. Para ir direto pra lá, clique no botão abaixo.

É possível fazer a declaração através de smartphones ou tablets. Para isso, você pode baixar o app “Meu Imposto de Renda” nas lojas de aplicativos.

Como fazer a transmissão da declaração do IRPF 2021?

• Veja também: Como o navio preso em Suez impacta a economia (e sua vida)?

• 3º passo – Preencher as fichas de declaração

Você deve preencher as fichas de declaração presentes no programa, sendo a sua própria ficha, ficha de dependentes, de alimentandos, entre outros.

No Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica é aonde você coloca o seu salário, junto com o CNPJ da empresa que você trabalha. Já o Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior pelo Titular, você põe o que recebeu de aluguel e pensão.

Depois, a Ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis que entram rendimentos de caderneta de poupança e Dividendos. Do mesmo modo, heranças também entram nesse setor.

Já no Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva entram outros rendimentos que você recebeu do empregador, como participação de lucros.

Dessa forma, vem a Ficha de Rendimentos Recebidos Acumuladamente, que você deve por os valores recebidos de ações judiciais. Logo depois vem a ficha de Imposto pago e Retido, que é praticamente automático a partir dos dados que você põe.

Depois vem os Pagamentos Efetuados, onde você deve por tudo que gastou com saúde e educação no ano. A ficha de Bens e Direitos é onde você declara seus bens, como imóvel por exemplo.

Logo depois vem a Ficha Dívidas e Ônus Reais, que entram os empréstimos acima de 5 mil reais. Já a ficha de importação, é para quem recolheu o Carnê-Leão durante o ano.

• Passo 4 – Escolha o melhor tipo de tributação

Existem 2 tipos de tributação, a completa e a simplificada. Assim, a simplificada dá um desconto de 20% do imposto limitada a R$16.754,34, mas, você abre mão de todos os outros descontos, incluindo educação e saúde.

Já a tributação completa, ela vai descontando item por item da sua declaração. O próprio programa ilustra as duas situações e você consegue visualizar qual é o melhor para seu IR.

Geralmente, a simplificada é melhor para quem não teve muito gasto dedutível no ano, enquanto a completa é o contrário. 

• Passo 5 – Verificar Pendências

Clique em “Verificar Pendências” e veja se ficou algo pendente na sua declaração de Imposto de Renda. Se tiver alguma pendência, é só clicar em cima dela que o programa já te direciona para ela.

Assim, se sua declaração não tem erros, você pode enviar a sua declaração.

PS: Guarde o recibo da declaração porque você pode precisar depois.

Auxílio Emergencial

Por último, esse ano tem algo diferente na declaração do Imposto de Renda. Dessa forma, quem foi beneficiário do auxílio e teve rendimentos tributáveis superior a 22.847,76 reais terá que devolver o valor que teve de benefício.

Assim, essa é uma das formas de “punir” quem fraudou as situações do auxílio emergencial no ano passado. E, não é novidade para ninguém que houve bastante fraude no país.

• Veja também: Saiba tudo sobre o auxílio emergencial 2021

Eae, gostou do texto? Compartilhe com amigos e família para eles verem como faz para declarar o imposto de renda da maneira correta.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Anterior

Honda e outras fecham as portas no Brasil: o que está acontecendo?

Proximo Post

Entenda tudo sobre a troca dos ministérios do governo Bolsonaro

Talvez você goste