Você sabe quem foi o Barão de Mauá?

Barão de Mauá
O Barão de Mauá

Você já ouviu falar do Barão de Mauá? Imagino que você possa me responder com raiva: “não sei, a professora é você, Francine!” Confesso que após estudar tanto para escrever esse texto, me sinto quase close friend dele no seu “Instagram imaginário”.

Talvez você possa se perguntar qual a relevância das ações do Barão de Mauá para a economia. Ou talvez, a sua cabeça esteja com aquele zumbido de quem nada está pensando. Talvez… Talvez… Bom, como você me respondeu, sim, a professora e historiadora sou eu.

Assim, segure a minha mão que a gente vai entender parte da relação entre a biografia do Barão de Mauá e a economia.

BIOGRAFIA DO BARÃO DE MAUÁ

Como sempre faço, preciso dizer de onde retirei minhas informações!

Dessa forma, começo dizendo que assisti ao filme “Mauá – O imperador e o Rei“. Segundo essa fonte, Irineu Evangelista de Sousa nasceu em Arrio Grande, no Rio Grande do Sul.

O seu pai, dono de uma fazenda, morreu quando Irineu ainda era jovem. Logo depois, a mãe acabou se casando novamente! Com isso, o menino foi morar no Rio de Janeiro com o padrinho!

Dessa forma, foi lá que começou a trabalhar e ter contato com o mundo financeiro.

Em suma, precisamos pensar que o contexto de sua vida se deu ao longo do século XIX! Esse empreendedor, comerciante, banqueiro, industrial, nasceu em 1813 e morreu em 1889. Segundo a fonte, começa a sua vida trabalhando como caixeiro, entendendo um pouco sobre as finanças, empréstimos e dívidas!

Assim sendo, aos poucos vai se interessando pela área de estudos da economia! Ele começa a ler e entender como funcionava o mercado da época. Além disso, vivia todos os dias, inserido naquele contexto.

Aos poucos vai ganhando a confiança do seu patrão. Portanto, passou a gerir as finanças do patrão.

O “MENINO DESTAQUE”

Em resumo, a obra cinematográfica romantiza a ideia de um homem que pensava, ao extremo, na abolição da escravidão devido a uma questão humanitária! Constroem no filme a imagem de um Irineu heroi, injustiçado.

Contudo, o jovem empreendedor compra as ações de um banco quase falido. Em suma, o banco era ligado ao império. Por essa razão, era mais seguro que o poder central tentasse resolver o problema. Comprou as ações usando suas economias do trabalho de caixeiro.

Com isso, o jovem começou a se destacar! Ao ajudar o patrão com suas dívidas, chama atenção de um empreendedor inglês! Esse, se interessa pelas habilidades de Irineu em resolver a aparentemente desgraça financeira do patrão.

É chamado para trabalhar para o cobrador da dívida de seu antigo patrão. Em resumo, seu novo patrão o ensina a língua inglesa e as suas experiências na área de investimentos!

Como resultado de seu destaque, se torna sócio do patrão em um empreitada. Além disso, passa a integrar a maçonaria! Essa importante rede de contato significa que os integrantes se ajudam em caso de problemas. Em síntese, Irineu cria laços com essas pessoas.

Quem foi o Barão de Mauá?
Acesso em: 19 ago. 2021.

Seus negócios são diversos. Entretanto, começa com “Estabelecimento de Fundição e Estaleiros da Ponte de Areia”. Ali, começa a trabalhar com carvão e ferro!

Com o tempo, passa a ser chamado de Barão de Mauá, seus títulos e reconhecimento aumentam!

Mas em síntese, o Barão de Mauá possuía a ideia de modernizar o país! Afinal, para ele, fazer o império crescer significava o livre comércio, melhorar o meio de transporte para circular as riquezas produzidas no país.

BARÃO DE MAUÁ, SUA BIOGRAFIA E A ECONOMIA

Júlia Calvo é doutora em Ciências Sociais pela PUC Minas, professora responsável pela disciplina de Brasil Império na mesma instituição. A historiadora alega que Mauá foi responsável por um primeiro surto industrial no Brasil! Suas ideias ajudaram na criação de uma infraestrutura nesse Império!

Segundo a editora gerente da revista História em Curso, suas ideias eram ligadas a visão de progresso, se espalhando na Europa. Por lá, cresciam as indústrias. Na Inglaterra, a intenção era trabalhar o algodão de forma lucrativa! A Inglaterra pressionava o Brasil para o fim do tráfego negreiro. Em resumo, ela buscava garantir consumidores para comprarem seus produtos. Além disso, sujeitos escravizados não atenderiam a a essa demanda da nação inglesa.

Aos poucos, o Brasil, que tanto dependia da mão de obra de sujeitos escravizados, passa por problemas! Eram “dois Brasis”! De acordo com um ponto de vista, o Brasil deveria continuar agrícola! Por outro lado, o Barão de Mauá queria industrializar o país! Esse “cabo de guerra” gerou problemas! Percebemos que a relação de Irineu com a Inglaterra, inicialmente o ajudará a conseguir recursos financeiros.

Ou seja, Irineu tinha as ideias! Em alguns casos, faltava a ele recursos para cobrir toda a ideia! Ferrovias, bancos, estaleiros, indústrias, passam a ser foco das ideias de Mauá! Investiu até mesmo na iluminação do Rio de Janeiro! Em suma, suas ideias precisavam de investidores anjo! Para entender melhor sobre o termo,

Aos poucos, os maçons começam a ingressar na política do império! Inicialmente Mauá representava uma visão diferente do que o império queria. Entretanto, como falei antes, o Barão de Mauá era maçom, possuía amizade pessoal, conexões com os inseridos na política. Aos poucos suas ideias são apoiadas, começa a ganhar empréstimos por parte do poder central! Olha o ‘menino voando’!

MODERNIDADE E HISTÓRIA

Mas se lembra que ele também possuía relação com os ingleses? Afinal, seu último chefe se torna parceiro de negócios, indo a viagens, pensando juntos, investimentos! Com a sua fama, consegue o financiamento de bancos ingleses para suas ideias! Queria pensar uma ferrovia! Ou seja, se produzia, extraía riquezas do Império! Mas atenção, como Julia Calvo aponta, não tínhamos estrutura que ligasse o país! O território não contava com cidades em ‘tudo que é canto’. Não, nesse momento precisávamos criar estradas pelos vários terrenos! Os produtos precisavam ser escoados!

Até mesmo o Rio de Janeiro foi iluminado através de investimentos de Mauá! Ele possuía empresas no Amazonas! Óbvio que ele pensava no lucro! Mas também, ele se espelhava em fazer o país crescer. Sua visão era de que o trabalhador deveria ser livre. Somado a isso, sabia da importância de poder fazer comércio de maneira livre! Ele queria um país moderno! Para isso, aos poucos se afastava do Brasil ligado a escravidão e agricultura!

Quem foi o Barão de Mauá?
Acesso em: 20 ago. 2021.

Como Berman aborda, citando outro pensador: “tudo o que é sólido desmancha no ar”! Os pensadores usaram essa frase pensando em outra situação, mas aproximando desse contexto brasileiro, podemos pensar outra coisa! A escravidão era a ‘solidez’ do país, a tônica! A ideia de industrialização, modernidade, ‘dissolveu no ar’ aquele mundo ‘sólido’. Agora, esse último era visto como atrasado!

A HISTÓRIA COM OS INGLESES

Em várias empreitadas, Mauá era sócio dos ingleses! Entretanto, aos poucos, alguns dos seus sucessos interferiam em outros investimentos ingleses! Assim, Irineu ganhava dinheiro, os ingleses, nos seus bancos internacionais, perdiam! O Barão de Mauá era sócio desses bancos ingleses em alguns negócios, em outros, quando ele ganhava dinheiro, os seus concorrentes perdiam!

Assim, gerou uma desavença! Em um determinado momento, um banco inglês rompe com ele! Dessa forma, ele acaba entrando em dívidas para construir uma estrada de ferro! Essa era importante para transportar o que era produzido no país! Em resumo, ele vai somando inimigos! O imperador não possui amizade com ele! Quando os maçons saem do poder, o governo passa a não oferecer empréstimos para Irineu! Além disso, seus aliados ingleses o pressionaram, colocaram-o em dívidas.

Em síntese, ele passa por dificuldades em seus negócios internacionais no Uruguai devido a Guerra do Paraguai! Para entender melhor essa guerra,

Acumulando dívidas, entrando e saindo de dívidas, ele vai ‘caminhando’ em seus investimentos. O mais importante sobre Mauá é que ele queria investir na industrialização do país. Isso gerou desavenças, perdas de alianças. Pois em muitos casos, muitos dos resultados positivos seus, geravam perdas para outros.

Como Carlos Osmar Bertero e Tatiana Iwai falam, em um dado momento, Mauá perde sua licença de comércio! O texto aponta que industrial conseguiu recuperar sua fortuna! Como resultado, suas ações queriam lucro, mas também, modernizar o país. Ele era, em muitos casos, o avesso do império brasileiro!

Afinal, você se identificou com Mauá? Você é do tipo que tem boas ideias? Obrigada por ‘segurar a minha mão’ nessa jornada para conhecer sobre o Barão de Mauá! Afinal, no Império não existia internet, televisão! Mas caso Mauá vivesse no período atual, certamente você mandaria uma mensagem no “Instagram” dele pedindo dicas de investimentos. Gostou do texto? Comente o que achou.
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Entenda o que são riscos sistêmicos

Próximo

Como criar e multiplicar moeda?