Como atuam as políticas monetária, fiscal e cambial?

Você já parou pra pensar em como o governo combina as políticas monetária, fiscal e os regimes cambiais? E em como isso impacta a economia do país?

Inclusive, aqueles que seguem o Boletim, com certeza já leram em algum momento sobre as políticas econômicas ou suas ferramentas.

Hoje vamos te explicar como funciona o uso dessas políticas na condução de um país. Continue conosco e vamos lá!

Política Econômica

Conceito

De início é preciso entender sua definição e quais são seus objetivos.

Em uma definição puramente teórica, temos que Política Econômica é a reunião das decisões do governo relativas a econimia do país.

Contudo não só o Governo é ator nesse cenário, como também o Banco Central, bancos nacionais ou de fora do país, além das diversas instituições financeiras. Ou seja, o ministro da economia e o presidente do Banco Central são peças-chave na decisão dos rumos da política econômica no Brasil.

Presidente do Banco Central e Ministro da Economia

Inclusive o próprio Banco Central possui um hall virtual que mostra todos os ex-presidentes e fala sobre a história da instituição, basta clicar aqui.

Objetivos

Antes de mais nada, essas políticas visam alinhar e dar condições para que a economia cresça de forma saudável, com foco principal no bem estar social. Para isso diversos aspectos do país são controlados como a inflação, a geração de empregos, o fluxo de moeda e a taxa de juros.

Dessa forma, Essas ações dependem do tipo de governo, pois parte dele as diretrizes que norteiam as políticas. Assim, um governo pode escolher atua sobre a inflação no início, mas perceber que a geração de emprego é mais urgente no cenário atual.

Aliás para saber mais sobre esse tema, nós já abordamos o tema economia política, basta clicar aqui.

Classificações

Agora veremos como as políticas econômicas se dividem.

Aplicações

Quanto as aplicações elas podem ser:

  • Alocativas: Nesse modelo os esforços são são sobre a melhoria na alocação dos recursos, ampliando com isso, a eficiência dessa economia.
  • Distributiva: Já nesse modelo, o objetivo principal é reduzir as distâncias entre as classes sociais, isso se dá através de melhoras na divisão da renda.
  • Estabilizadoras: Por fim aqui ocorre uma busca pelo controle de indicadores específicos que possam afetar a economia, como por exemplo a inflação e seus fenômenos como a inflação ou a deflação.
Modalidades

Já as políticas econômicas podem ser:

  • Expansionistas: quando existe a atuação do governo de forma direta sobre a economia, por meio de incentivos em prol da produção e o consumo.
  • Estrutural: Aqui trata-se de uma abordagem mais complexa que visa alterar a estrutura econômica do país no longo prazo.
  • Conjuntural: Aqui o foco principal está na resolução de problemas de curto prazo.

Políticas monetária, fiscal e cambial

Com base no que vimos até agora, vamos entender as políticas monetária, fiscal e cambial. Com elas podemos traçar, com base nos objetivo definido pelo governos, a forma como cada uma pode atuar.

É bom ressaltar que esses dispositivos, apesar de controlados por órgãos diferentes, atuam em conjunto em busca dos resultados esperados pelo Governo.

Política Monetária

A política monetária reúne as medidas adotadas pelo governos como objetivo de controlar a oferta de moeda , isso com base nos objetivos econômicos definidos para o país. 

Ou seja, ela controla o nível de liquidez de uma moeda em circulação, ou seja, a quantidade física disponível dessa moeda dentro do país.

O Banco Central (BACEN), ligado hoje ao Ministério da Economia, é quem realiza esse controle. Suas normas são definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e, por meio destas, é definida a taxa Selic, que define a taxa básica de juros do país e é um nome popular em meio as notícias.

Dessa forma, expansão ou contração dessa oferta de moeda afeta a relação de valor da moeda. Quanto mais moeda disponível, menor seu valor devido ao efeito da inflação, da mesma forma a escassez da moeda a aprecia e aumenta o poder de compra da população.

Assim, a política monetária regula o fluxo inflacionário estimulando o consumo ou o investimento conforme o plano do Governo.

Política Fiscal

A política fiscal é a mais importante dentre as políticas disponíveis ao setor público. Isso se dá porque ela define o plano orçamentário do Estado, ou seja o que ele pode gastar com base no que arrecada.

Ou seja, nele vemos a diferença entre as receitas e despesas possíveis ao país em um período. Se as receitas são maiores que os gastos, estamos diante de um cenário de superávit e quando as receitas são menores, temos um cenário de déficit.

Assim, por meio dos impostos que são cobrados, obtemos a receita disponível para uso do Governo. Já as despesas, se baseiam nos objetivos iniciais da política econômica que já discutimos no início do texto e suas prioridades. Por isso vemos que a política cambial define o que é possível alcançar com base no que será recebido dos impostos.

Para as despesas deve-se levar em conta os gastos com salários dos servidores, infraestrutura e serviços ofertados como educação, saúde e segurança. Ou seja, quanto mais robusto esse estado, maior será a necessidade de arrecadação de impostos para custear tudo isso.

Aliás, uma das melhores formas de redução de impostos é a redução do tamanho do estado e dos salários pagos a ele. Sendo essa uma das formas de atuar sob a política fiscal.

Política Cambial

Em princípio a política cambial lida com as relações entre a nossa moeda e as moedas estrangeiras. Ou seja, atua controlando as relações comerciais e financeiras entre os agentes dos sistema econômico nacional com os de outros países.

Nesse sentido ela irá regular o equilíbrio entre economias por meio da Balança Comercial, através dos resultados de saldos saldos positivos ou negativos entre as exportações e importações feitas pelo país.

Já quanto ao aspecto financeiro, a Balança de Pagamentos controla o equilíbrio entre a quantidade de recursos de moeda estrangeira, atraída para o mercado interno e o preços dos produtos a serem adquiridos em moeda estrangeira.

Por fim, de forma simples, quanto maior a oferta de dólares por exemplo em uma economia, menor seu preço devido ao excesso de oferta. Assim como um produto, quão maior sua oferta menor seu valor e isso é levado em conta nas decisões do Governo sob qual plano traçar

E então, o que achou? Meio denso?

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

A crise dos precatórios federais

Próximo

O que é economia circular?