A importância de conhecer os pensamentos econômicos

Estudar os pensamentos econômicos é focar na herança deixada pelos que escreveram sobre economia e assuntos similares ao longo de muitos anos. 

A princípio, a evolução desses pensamentos econômicos divide-se em escolas ao longo dos séculos.

Como resultado, separamos, a seguir, algumas da principais escolas da economia para você entender um pouco mais a importância delas para a sociedade.

Bora começar a ler?

1. Clássica

Segundo essa linha de pensamento, a economia funciona melhor com a intervenção mínima do Estado. Portanto, o governo deve se preocupar com as áreas de defesa, ordem e educação, com recursos limitados.

Nesse sentido, tem como principais pensadores Adam Smith e David Ricardo e é baseada em livre mercado e em como a mão invisível e o funcionamento do mercado podem permitir uma alocação eficiente de recursos.

Como resultado, protege-se a propriedade privada, além de incentivar a abertura entre nações.  

pensamentos econômicos

2. Marxismo

Karl Marx, o principal nome dessa escola, defendia a intervenção do Estado na economia para diminuir as desigualdades sociais e combater a instabilidade do capitalismo.

Em outras palavras, era preciso deter todos os meios de produção e acabar com a propriedade privada para distribuir de forma mais justa os recursos entre a população. 

karl marx deal with it GIF by Amy

3. Pós Keynesianismo

A escola do pensamento pós-keynesiana foi a a precursora das ideias originais do economista inglês Jhon Maynard Keynes.

Keynes desenvolveu suas ideias no início do século XX, porém elas foram difundidas principalmente na década de 30.

Seu livro, The General Theory of Employment, Interest and Money publicado em 1936 mudou a forma de se pensar sobre economia.

O Estado, segundo Keynes, deve aderir políticas fiscais expansionistas para causar um choque na demanda agregada.

O que são essas políticas fiscais expansionistas?

4. Neoclássica

É um desdobramento da escola clássica baseada no livre mercado, porém inclui novas ideias, como o estudo da oferta e da procura, levando em conta a racionalidade dos indivíduos durante suas escolhas.

Dessa forma, os principais nomes são Leon Walras, William Jevons, John Hicks, George Stigler e Alfred Marshall.

A escola neoclássica é atualmente e frequentemente chamada de escola ortodoxa e é a economia ensinada na maioria dos livros-texto como o ponto de partida para o ensino de economia.

5. Neo Keynesianos

Os novos keynesianos são aqueles que reinterpretaram o Pós Keynesianismo, e abandonaram a questão da demanda efetiva apontada por Keynes.

Essa escola econômica se aproxima mais da escola de pensamento neoclássica do que de sua antecessora. Por exemplo, a rigidez dos preços e dos salários no curto prazo podem resultar em amplas falhas de mercado levando à recessão.

Com isso, as políticas públicas podem garantir o pleno emprego por meio de medidas de estabilização, para combater as falhas de mercado.

Hoje, os novos keynesianos são uma das escolas de pensamentos econômicos mais “populares”. Grande parte dos livros/textos utilizados atualmente seguem esse pensamento.

Em outras palavras, os novos keynesianos são parte integrante das principais revistas de economia. Dessa forma, o modelo econômico Neo Keynesiano é o mais utilizado pelos criadores de políticas públicas.

6. Escola Austríaca

Essa escola também criticava a intervenção do estado na economia e o controle de preços. Apesar de ser a favor do livre mercado, discordava de algumas ideias da escola clássica e defendia as liberdades individuais.

Por exemplo, economistas austríacos argumentam que o valor de um bem reflete a utilidade marginal do bem – e não os custos de produção.

Em suma, essa escola tem como principais nomes Ludwig Von Mises e Carl Menger.

7. Monetarismo

Os monetaristas, liderados por Milton Friedman, acreditavam que a intervenção do governo na economia era menos eficaz do que o sugerido.

Propuseram ideias mais parecidas com as da escola clássica, como a de eficiência dos mercados e defendiam o controle de emissão de moeda como forma de diminuir a inflação.

Dessa forma, a economia monetarista tornou-se influente nas décadas de 1970 e 1980, em um período de alta inflação.

paid pay day GIF pensamentos econômicos

Qual a importância de conhecer essas escolas?

Cada uma das escolas do pensamento econômico apresentada foi um reflexo do período de vida de seus principais pensadores e idealizadores.

Com esses registros, os economistas tentam explicar como a economia funcionava na época e como podemos resolver os problemas de hoje com essas ideias do passado.

Apesar de cada escola ter questionamentos diferentes, todas tinham o mesmo objetivo, em outras palavras, trazer mais bem estar para a população.

Hoje, quando os políticos sugerem propostas para a melhoria da economia, baseiam-se as ideias nessas teorias. Por fim, é importante as pessoas terem pelo menos uma ideia delas.

Enfim, o Boletim Econômico é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Para nos ajudar, compartilhe esse texto cheio de conhecimento com seus amigos!

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Anterior

Economia de Escala x Economia de Escopo

Proximo Post

5 conceitos de economia internacional que você precisa saber

Talvez você goste